Ciência

15 fatos científicos provam que o mundo não está tão ruim assim

Existem ainda pessoas incríveis contribuindo para a humanidade

Enquanto somos bombardeados a todo momento com notícias que reafirmam a decadência da nossa humanidade, o ScienceAlert fez uma lista com 15 fatos científicos para provar que o mundo não está tão ruim assim.

Existem realmente pessoas incríveis trabalhando para melhorar nossas vidas, embora elas não tenham tanto reconhecimento pela mídia, por enquanto.

Se você, assim como eu, anda um pouco desacreditado e vibra a cada notícia que um novo meteoro ameaça nosso planeta, fique calmo, esta lista vai acalmar seu coraçãozinho.

15 fatos científicos provam que o mundo não está tão ruim assim

1.Médicos reverteram danos cerebrais de uma garota de 2 anos

Pesquisadores dos EUA reverteram os danos cerebrais de uma garota de 2 anos que se afogou em uma piscina e ressuscitou após seu coração parar por duas horas.

A falta de oxigênio em seu cérebro causou ferimentos e danos profundos na matéria cinzenta, além de atrofia cerebral. A criança não podia falar, andar ou responder aos estímulos – mas chacoalhava a cabeça de maneira incontrolável.

Graças a um curso ministrado por especialistas de universidades americanas – e oxigenoterapia hiperbárica (HBOT) – os médicos conseguiram reverter significativamente os danos sofridos pela menina.

2. Estamos próximos de conseguir fazer fusão nuclear sustentável

A fusão nuclear pode ser a chave para produzir energia quase ilimitada com poucos subprodutos, que não são água marinha. Os pesquisadores se empenharam há muito tempo para criar uma máquina que pudesse controlar de forma sustentável uma reação tão poderosa.

No final de 2015, a Alemanha modificou um enorme reator de fusão nuclear que conseguiu conter uma bolha quente de plasma de hidrogênio.

Eles não são os únicos. O Reino Unido, ativou um tipo revolucionário de reator que gera de modo sustentável o plasma dentro do seu núcleo.

Para pesquisadores do MIT, em 2030 já poderemos obter bons resultados com energia de fusão nuclear.

3. Agora nós podemos “ouvir” o Universo

Estamos detectando ondas gravitacionais desde o enorme avanço que ocorreu em 2015.
Com uma nova série de detectores espaciais conhecida como LISA, prevista para ser produzida em linha até 2034, poderemos em breve usá-los para testar todo tipo de hipótese – o que inclui a ideia de múltiplas dimensões dentro do nosso Universo.

4. Estamos perto de erradicar a segunda pior doença do planeta

Primeiro, os humanos se livraram da varíola. Agora estamos à beira de destruir o Parasita da Guiné, que penetra dolorosamente na pele das pessoas.

No início de 2015, havia apenas 126 casos do parasita, principalmente graças a um filtro de palha engenhoso e barato que impede a contaminação através da água. Em maio deste ano, havia apenas cinco casos registrados.

5. A Poliomielite pode também estar chegando ao fim

Desde a Iniciativa Global de Erradicação da Pólio lançada em 1988, a incidência global de poliomielite diminuiu 99,9% , graças aos esforços mundiais de vacinação.

Em 2016, havia apenas 19 casos no mundo que apresentaram o vírus. Em 2017, apenas oito casos foram notificados.

6. Estamos mais perto do que nunca de encontrar uma droga capaz de tratar o autismo

Uma pequena, mas promissora pesquisa dos EUA, mostrou neste ano que uma droga chamada Suramin pode melhorar de maneira significativa os sintomas do transtorno do espectro do autismo (TEA) em crianças.
Ainda há muitas pesquisas a serem realizadas, mas é a primeira vez que estamos tão perto de ter um resultado do tipo.

7. Os cientistas estão trabalhando em uma peneira à base de grafeno que transforma a água do mar em água potável

Em abril, pesquisadores conseguiram um grande ponto de inflexão na busca da dessalinização eficiente ao anunciar a invenção de uma membrana de óxido de grafeno que peneira o sal diretamente da água do mar.

A técnica ainda é limitada aos laboratórios, mas a perspectiva de fazer o processo em grande escala cresceu após a descoberta.

8. Você não precisa mais pagar para ter acesso a várias pesquisas

A comunidade científica está lutando contra os “paywalls” com um novo estudo que mostra que mais de um quarto de todos os artigos científicos se encontram online gratuitamente graças ao aplicativo Unpaywall.

9. Cientistas podem reverter a perda de memória causada pelo Alzheimer

As memórias perdidas podem não ter desaparecido para sempre. Uma nova pesquisa do MIT, descobriu uma enzima que interfere nos principais processos de formação de memória das pessoas acometidas pelo Alzheimer.

Essa substância pode agora ser o foco das pesquisas em torno da doença.

10. Uma vitamina que pode reduzir a incidência de defeitos congênitos e abortos espontâneos foi descoberta.

Um estudo de 12 anos revelou que as mulheres podem evitar tais efeitos simplesmente ingerindo vitamina B3 durante a gravidez.

11. Cientistas estão perto de descobrir como reparar lesões na medula espinhal

Novas pesquisas definiram como uma das técnicas mais avançadas funciona e, em particular, como o corpo pode se reparar com ajuda dos cirurgiões.

Os pesquisadores estão empenhados em desenvolver tratamentos ainda mais eficazes que possam chegar a paralisia reversa e outros danos do sistema nervoso.

12. Os Hiperloops estão chegando!

O transporte de Elon Musk promete conduzir pessoas em tubos até 2021. A ideia é que as viagens sejam feitas entre cidades a velocidades de aproximadamente 1.126 km/h.

Existe mesmo uma proposta (ligeiramente louca) para transformar a parede fronteiriça dos EUA / México em um hiperloop gigante.

Até agora, testes estão sendo construídos nos EUA, Holanda, Eslováquia e República Tcheca. E pode chegar a ser implantado no Brasil.

13. Os cientistas estão lutando contra a resistência aos antibióticos

Organização das Nações Unidas (ONU) declarou que a resistência aos antibióticos é uma “ameaça fundamental” à saúde global, e poderia matar 10 milhões de pessoas anualmente até 2050.

Entretanto, a batalha ainda não acabou. No início deste ano, os cientistas anunciaram o desenvolvimento de uma molécula que reverte a resistência aos antibióticos em várias cepas de bactérias ao mesmo tempo, o qual se tornou um dos avanços mais promissores na luta contra as superbacterias.

Ainda, a doutoranda austriliana Shu Lam lidera uma comunidade de pesquisa que sugere uma maneira de realmente matar bactérias sem antibióticos. Ela desenvolveu um polímero em forma de estrela que pode matar seis estirpes de superbótipos diferentes sem antibióticos, simplesmente rompendo suas paredes celulares.

14. A NASA liberou todas as suas pesquisas para o público

No ano passado, a NASA anunciou que qualquer pesquisa publicada financiada pela agência espacial agora estará disponível sem nenhum custo, as quais se encontram em um novo portal público.

O arquivo gratuito vem em resposta a uma nova política da NASA, que exige que todos os artigos de pesquisa financiados pela empresa em revistas sejam acessíveis ao público no prazo de um ano após a publicação.

15. Um novo tipo de aurora foi descoberta — e batizada de Steve

O novo fenômeno astronômico parece uma fita de luz cintilante, e foi detectado nas altas latitudes do hemisfério norte.

Via.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Categorias
Ciência

Jornalista, escreve sobre arte, cultura, comportamento, psique, política e assuntos gerais relacionados às ciências, sociedade e mundo geek.