Ciência

Buracos de lava podem abrigar cidades na lua

O Conselho Espacial Nacional dos Estados Unidos já anunciou interesse, no início deste mês, para retomar o interesse e projetos na lua.

“Nós retornaremos os astronautas americanos à lua, não só para deixar as pegadas e as bandeiras, mas para construir as bases que precisamos para enviar americanos para Marte e para além disso”, disse Mike Pence, vice-presidente do conselho.

Isso vem à tona novamente depois que o Geophysical Research Letters publicou um estudo sobre a presença de um possível habitat humano: Buracos de lava que podem abrigar cidades na lua.

Um enorme buraco que leva a um tubo serviria como um refúgio para proteger os astronautas de condições naturais perigosas.

Trajes espaciais sozinhos não são suficientes para isolar as pessoas de extremos de temperaturas, da radiação e dos meteoritos. Então, estes locais específicos serviriam como uma caverna de proteção para os astronautas.

Esses túneis são criados quando a matéria vulcânica chega à superfície e, depois de a lava ser drenada, deixa um túnel oco.

“É importante saber onde e quão grandes tubos de lava lunar são, se construiremos uma base lunar”, disse Junichi Haruyama, pesquisador sênior da Agência Espacial de Exploração do Japão.

“Mas conhecer essas coisas também é importante para a ciência básica”, acrescentou. “Nós podemos obter novos tipos de amostras de rocha, dados de fluxo de calor e dados de observação de terremotos lunares”.

Para conhecer mais sobre esses buracos, o pessoal da Agência Espacial de Exploração do Japão conversou com os pesquisadores da missão GRAIL, da NASA.

“Os japoneses conheciam a clarabóia dos montes da região de Marius, mas eles não tinham idéia de quão longe essa cavidade subterrânea poderia chegar”, disse Jay Melosh, um co-investigador da missão GRAIL e professor de Ciências da Terra, Atmosféricas e Planetárias da Universidade de Purdue.

“Nosso grupo usou os dados da gravidade na área para inferir que a abertura fazia parte de um sistema maior”, continuou ele. “Ao usar esta técnica complementar de radar, eles conseguiram descobrir o quão profundas e altas são essas cavidades”.

Essas cavidades têm quilômetros de comprimento e pelo menos um quilômetro de altura e largura, de acordo com a Universidade, espaçosa o suficiente para abrigar uma das maiores cidades dos Estados Unidos.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Categorias
CiênciaMundo Geek

Jornalista, co-fundador do Geekness. Foi editor do GamesBrasil, TechGuru e BABOO e repórter das revistas MOVIE, EGW e Nintendo World. Curta o Geekness no Facebook!