7 grandes livros que você deve ler antes de morrer

7 grandes livros que você deve ler antes de morrer

O poeta espanhol Rubén Darío disse uma vez que “aprender a ler é uma das coisas mais importantes que nos acontece na vida”. E esta é uma verdade.

Quase não dá para imaginar como seria nossa vida hoje sem os grandes livros, histórias e registros. E, sim, para ler e aproveitar a leitura é preciso aprender. Uma coisa é ler a lista do mercado ou textos na internet outra coisa bem diferente é entrar em um universo novo feito de páginas, palavras e imaginação.

Dizem que para saber ler basta ler; e nós concordamos. Uma vez que você pega gosto pela leitura é difícil conseguir parar. A dica é se manter lendo, trocando de livro um atrás do outro e não deixando o ânimo esfriar.

Para que você tenho pelo menos sete ótimos livros para ler nos próximos meses, selecionamos clássicos imperdíveis da literatura. Não tem desculpa agora para dizer que não sabe o que ler… Boa leitura!

Grandes livros que você deve ler

Cem Anos de Solidão, Gabriel García Márquez, 1967

livro-cem-anos-de-solidaoClássico absoluto recomendado por 10 entre 10 leitores, Cem Anos de Solidão apresenta a história da família Buendia em sete gerações. Durante um século, García Márquez narra a trajetória de uma vila no meio do nada, cuja existência passa despercebida no tempo.

Trata-se de uma leitura que exige concentração, pois pede certa sagacidade do leitor para entender o ambiente irreal de Macondo que é cheio de detalhes e mistura o normal e o fantástico, o real e o sobrenatural.

O livro tem a intenção de retratar a solidão humana, quando se passam cem anos e nada continua igual, apenas o ser humano. Leitura recomendada para todas as idades!

A Insustentável Leveza do Ser, Milan Kundera, 1984

insustentavel-leveza-do-ser (1)O romance de Milan Kundera se passa em Praga em 1968 e narra os amores e desamores de quatro personagens: Tomás, Tereza, Sabina e Franz. O livro é permeado pela invasão russa à Tchecoslováquia e pelo clima de tensão que pairava em Praga naqueles dias.

Além de totalmente sensual e envolvente, o estilo narrativo de Kundera permite saídas do texto central com comentários que esclarecem ao leitor sobre o terreno filosófico e psicológico em que a história se desenrola.

Há referência a autores como Nietzsche e Parmênides que situam o enredo em uma perspectiva existencial e submete as situações à uma análise filosófica e uma reflexão especulativa.

O livro narra as dores e as delícias de optar pela liberdade ou pelo comprometimento ilustrando as consequências existenciais de cada uma dessas opções. Imperdível e maravilhoso!

Memória de Minhas Putas Tristes, Gabriel García Márquez, 2004

memorias-de-minhas-putas-tristes livroMemória de Minhas Putas Tristes narra a história de um velho cronista e crítico musical que, em seu aniversário de 90 anos, pretende presentear a si mesmo com uma noite de amor insano com uma adolescente virgem.

No entanto, ao vê-la dormindo, não tem coragem de acordá-la e se apaixona por uma garota adormecida. Um livro sábio, reflexivo e com muito bom humor.

 

 

 

1984, George Orwell, 1949

19841984 apresenta a história de Winston Smith, um homem com uma vida insignificante que recebe a tarefa de perpetuar a propaganda do regime atuante por meio da falsificação de documentos públicos e da literatura a fim de que o governo sempre esteja correto no que faz.

Smith fica cada vez mais desiludido com sua existência miserável e assim é iniciada uma rebelião contra o sistema. O romance ficou famoso por seu retrato sobre a fiscalização e controle de um determinado governo na vida dos cidadãos e a crescente invasão sobre os direitos do indivíduo.

Vivemos ou não em um imenso “Big Brother”?

 

Admirável Mundo Novo, Aldous Huxley, 1932

adous-huxley-admiravel-mundo-novo-jpg2No mundo futurista criado por Aldous Huxley não existe família e as pessoas nascem pré-condicionadas biologicamente em uma sociedade organizada por castas. Nesta sociedade não existe ética religiosa nem os valores que regem a sociedade atual.

Qualquer dúvida ou insegurança são dissipadas com o consumo de uma droga chamada “soma”. Não existem casais, nem o nascimento por meio da gravidez. O conceito de Amor, como um sentimento monogâmico, também não existe.

As pessoas praticam relações sexuais entre si como uma mera forma de lazer, vivendo sob o lema: “cada um pertence a todos”. O enredo remete à reflexões sobre os relacionamentos, o futuro e modos de vida.

Quando Nietzsche Chorou, Irvin D. Yalom, 1982

Quando Nietzsche ChorouEm Quando Nietzsche Chorou, o psicoterapeuta Irvin Yalom liga duas figuras históricas importantíssimas em um relacionamento fictício que se passa em um contexto histórico real na Viena de 1982.

O médico e fisiologista austríaco Josef Breuer e o filósofo alemão Friedrich Nietzsche iniciam discussões permeadas pelas teorias de Nietzsche, como a do eterno retorno, e abrangem grandes questões que permeiam a existência humana: o seu significado, a liberdade, as escolhas, o destino, Deus, a morte e o desespero.

 

Grande Sertão: Veredas, Guimarães Rosa, 1956

grande_sertao_veredasCom uma linguagem caracterizada por acentos e jeitos sertanejosGrande Sertão: Veredas é considerado uma das maiores obras da literatura brasileira. A grandiosidade do livro de Guimarães Rosa pode ser exemplificada pelas interpretações, que abordam variados pontos de vista e as mais diferentes culturas.

A obra se passa no sertão brasileiro e o enredo é tomado por uma espécie de labirinto. Como se fosse uma metáfora da vida, a travessia do labirinto pode ser interpretada como a travessia da própria existência.

Mais que os outros livros desta lista, este é destinado para quem sabe ler. Ele requer paciência, pois a linguagem é cheia de cultura oral e pede muita interpretação de texto. Com paciência é possível logo se sentir preso à trama e abduzido por um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos que deve ser lido e entendido muitas vezes.

[infobox color=”eg. light]E você? Qual livro você indica como imperdível? Conta pra gente! [/infobox]

Leia também 21 dicas para exercitar seu cérebro

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

  • Pedro Jungbluth

    Minha lista:
    Idade da Razão, Sartre
    Os Miseráveis, Vitor Hugo
    Irmãos Karamazovi, Dostoiévski
    Dom Quixote De La Mancha, Cervantes
    Pais e Filhos, Turgueniev
    O Processo, Kafka
    Vinte Mil Léguas Submarinas, Verne

  • Jaime Guimarães

    Boas dicas. Na minha listinha também constam “1984” e “Admirável mundo novo”.

    Deixo minhas sugestões:
    – O Estrangeiro, de Albert Camus;
    – Sidarta, de Hermann Hesse;
    – O complexo de Portnoy, de Phillip Roth;
    – O grande Gatsby, de Scott Fitzgerald;
    – O mestre e margarida, de Mikhail Bulgakov;
    – A Morte de Ivan Ilitch, de Tolstoi;
    – Antologia poética de Fernando Pessoa e seus heterônimos.

  • Camila Rodrigues

    Vinte Mil Léguas Submarinas é simplesmente esplendido! Você não vai se arrepender.

  • Pedro Jungbluth

    gostei muito da sua lista, tem dois autores que nunca li e quero muito, Hesse e Fitzgerald

  • Caio Carvalho

    Faltou “Zorba, O Grego”, do Nikos Kazantzakis 😉

  • Indicaria Neuromancer, achei muito bom. Uma obra prima do estilo cyberpunk.

  • Grasiela Ferreira Costa

    Cem Anos de Solidão para mim é imbatível sem dúvidas! Mas faltou Crime e Castigo do Dostoiévski e Os Miseráveis de Vitor Hugo!

  • Lopes

    Clube da Luta.

  • Larissa Xavier

    Clube da Luta é legal, mas fala sério né? estamos falando de clássicos.

  • Eduardo Jesus

    Anna Karenina Leo Tolstoi
    Orgulho e Preconceito Jane Austen
    Reparação Ian Mcewan
    Jane Eyre – Charlotte Bronte
    O retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde

  • Ytalo Amarante

    Me desculpe, mas listas de livros clássicos sem Dostoiévski e Tolstói não dá pra levar a sério.

  • Christian

    “Vinte mil léguas submarinas” é excelente mesmo! Júlio Verne era um visionário! Essa obra é uma das minhas favoritas!

  • Alex Hakeshu Figueiredo

    Sem A Ilha Perdida? Shame on you.

  • Jessica Santos

    Amo 1984 mas nao sei porque as pessoas gostam de admirável mundo novo. detestei! =/

  • Patrick Lima Prade

    A Insustentável Leveza do Ser. Esse livro é demais!!!! Amoooooooooo

  • Célio Cruz

    Gostei das recomendações, acho 7 um número muito pequeno diante de tantos livros bons que existem, como “acredito” que não vou morrer logo, vou aproveitar pra ler um pouco mais dos outros também…rsss

  • Mia

    Mas não é uma lista de livros clássicos. É apenas uma lista de livros que “devem” ser lidos porque são REALMENTE muito bons, de acordo com a opinião da autora, oras. 😡

  • Ademir Barros

    Consigo pensar em pelo menos 10 livros melhores e mais significativos que Quando Nietzsche Chorou,livro apenas razoável.

  • Alexandro Pereira de Araújo

    Admirável mundo novo e 1984 realmente são indispensáveis. Acreditem anteciparam muito do que vivemos hoje. recomendo Eu, Robô? Também.

  • Mariana de Paula

    Acho “Ensaio sobre a Lucidez” de Saramago indispensável também.