Cinema e TV

Magic Mike XXL, road movie e strippers

magic-mike-crítica

magic-mike-crítica

Vamos fazer um exercício. Pegue a estrutura de um road movie, com aquela viagem em busca de uma aventura para balançar um pouco a sua vida e tirá-lo do caminho chato em que está. Coloque aqueles momentos usuais desse tipo de filme, com paradas inusitadas, figuras peculiares e um destino final que pode levá-lo a redenção ou aprendizado. Agora adicione um grupo de strippers nele. Assim você tem Magic Mike XXL.

Nessa sequência de Magic Mike (2012), acompanhamos Mike (Channing Tatum) em um trabalho levemente estável, longe dos palcos, até que seus ex-companheiros o chamam para uma última viagem até a convenção de strippers em Myrtle Beach, buscando um último show antes de mudarem suas vidas, uma última chance de, como eles mesmo disseram, se aposentarem em um tsunami de dólares. Assim se inicia a grande viagem do filme, envolvendo autodescoberta, recuperação de fôlego e muitas danças.

O filme funciona muito bem nessa proposta, de uma forma que até me surpreendeu. A atmosfera é levíssima e divertida, com um roteiro focado em criar ótimos diálogos que abrem muito espaço pare reflexão, mas de forma sutil. E eles não só referenciam músicas atuais, como também elementos da cultura pop o tempo todo (sério, vai de Harry Potter a Star Wars), tornando cada cena de conversa em uma diversão e uma surpresa. A viagem também é bem construída, abordando de forma leve as crises que enfrentamos quando chegamos perto dos 30 anos, ou da meia-idade, usando bem os personagens e os locais pelos quais eles passam. Essa qualidade fica clara ao ver como todo o grupo não sabe bem mais qual é o seu papel naquele show, e cada um deles está se preparando para aposentar as danças e focar em uma outra paixão (ou até mesmo descobrir essa paixão ainda). No final, o que fica é a mensagem de que devemos procurar o que amamos, só que sem aqueles momentos piegas ou discursos cheios de frases clichés, tanto que o filme até brinca com isso.

magic-mike-elenco

E esse roteiro vem embalado em uma direção que sabe aproveitar cada momento do filme, criando a atmosfera para tudo se desenvolver sem problemas e dando os ótimos momentos falados acima. Também ajuda o fato de o elenco estar totalmente a vontade ali, conectado, tornando as interações, que são o grande destaque do filme, totalmente naturais, até mesmo superando a superficialidade dos personagens (que no fim, não precisam mesmo de tanta profundidade).

Além disso, um filme desses não funcionaria sem uma direção de arte e coreografias no ponto, e isso é dado sem problemas. Cada cena onde alguém do grupo se apresenta é transformada em um grande show, seja ele apenas para uma única atendente de caixa em um posto, ou no grandioso palco da convenção. Coreografias executadas à perfeição e bem criativas moldam o filme inteiro, e não se engane, tudo ali tem seu propósito, fazendo com que as quase duas horas de filme passem num piscar de olhos.

Magic Mike XXL é um filme redondo, completo e bem executado. Um acerto que agrada muito bem seu público alvo. E, se você não é dele, não deixe de vê-lo mesmo assim, porque aqui está uma história que vai te divertir e abrir espaço para reflexões com uma leveza que não é facilmente atingida por aí.

4estrelas

magic-mike-reviewMagic Mike XXL

Diretor: Gregory Jacobs

Roteiro: Reid Carolin

Duração: 115 minutos

Elenco: Channing TatumJoe ManganielloMatt BomerAdam RodriguezAmber Heard

Lançamento: 30 de Julho de 2015

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Categorias
Cinema e TVCríticas de Filmes

Aspirante a jornalista, viciado em cultura pop, cinema e comportamento na internet. Vive em uma avalanche de novas séries e filmes para assistir e acompanhar.