Ciência

NASA libera as primeiras imagens da Grande Mancha Vermelha de Júpiter

No dia 10/7 a sonda Juno da NASA completou sua viagem em torno da Grande Mancha Vermelha de Júpiter, e liberou as primeiras imagens.

A sonda chegou a 9 mil km do local, considerado o ponto mais misterioso do planeta, o qual vem a ser uma tempestade oval de 16 mil km de diâmetro, que perdura há pelo menos 160 anos.

A mancha libera uma quantidade de energia tão grande que pode ser suficiente para aquecer o planeta sem a ajuda do Sol, segundo cientistas americanos e britânicos, que mapearam o planeta usando o IRTF, telescópio infravermelho da NASA baseado na Universidade do Havaí.

Estima-se que a Grande Mancha Vermelha seja quase duas vezes maior que a Terra, e 600º mais quente que o restante do planeta. As ondas de calor emitidas pela mancha percorrem toda a circunferência do planeta, gerando emissões infravermelhas um tanto curiosas.

“Havia simulações de dinâmica planetária que previam a transferência de calor entre regiões mais próximas ao núcleo e áreas superficiais, mas elas não haviam sido observadas na prática”, explica James O’Donoghue da Universidade de Boston.

“Essa tempestade monumental tem assolado o maior planeta do Sistema Solar há séculos”, diz Scott Bolton, cientista do Instituto Southwest de Pesquisa.

Sobre as imagens, Bolton declara animado ao I Fucking Love Science, “Por gerações, pessoas do mundo inteiro e em diferentes momentos da vida se maravilharam com a Grande Mancha Vermelha”, “Agora finalmente a veremos de perto.”

Confira abaixo as imagens mais próximas da Grande Mancha Vermelha.

NASA libera as primeiras imagens da Grande Mancha Vermelha de Júpiter

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Categorias
CiênciaDestaqueFotografiaMundo Geek

Jornalista, escreve sobre arte, cultura, comportamento, psique, política e assuntos gerais relacionados às ciências, sociedade e mundo geek.