Boardgames

Testamos Jórvik, o boardgame que te coloca na era comercial dos Vikings

Uma releitura nórdica do excelente jogo The Speicherstadt

Os Vikings eram guerreiros bárbaros implacáveis, que travaram uma longa batalha contra os reinos da Inglaterra – e na verdade, com grande parte do mundo.

Por muito tempo, parte de onde hoje é a Inglaterra, anteriormente chamada de Wessex, uma das cidades tomadas por eles se tornou um grande centro comercial. Essa cidade era chamada pelos Escandinavos de Jórvik, que hoje é conhecida como York.

Neste jogo de tabuleiro criado por Stefan Feld (Castelos de Burgundy, Trajan, AquaSphere, entre outros), nós encarnamos o papel de um Jarl (líder) de tribo comerciante que se estabeleceu na região da cidade de Jórvik.

Trata-se de uma releitura de The Speicherstadt (um dos top 100 mais conceituados jogos de tabuleiro) onde o jogador usa cartas de comércio e acumula pontos de vitória durante fases de jogo com base em comércio, vendas, trocas.

Com a diferença de que The Speicherstadt se passa em Hamburgo (Alemanha), durante os anos de 1900. E neste, estamos na época em que os Vikings começaram suas rotas comerciais na Inglaterra.

A ideia é que, ao longo das quatro estações do ano, você possa fortalecer a influência de sua tribo por ali, dando aos seus artesãos mercadorias, seja por meio de navios mercantes ou ao ajudar no fortalecimento da defesa da cidade.

Como funciona o jogo

Tudo começa durante o Inverno, e a mecânica segue para outras estações, sendo na ordem de Iverno, Primavera, Verão e Outono.

Cada rodada acontece durante quatro fases dividas entre suprimento, demanda, compra e carregamento.

Na primeira fase todos os jogadores se deparam com itens disponíveis para compra. Logo, na segunda fase todos os jogadores precisam indicar intenções de compra de cada carta ao colocar seus trabalhadores no tabuleiro.

Durante a fase três, é possível comprar as cartas os quais você tem interesse, de acordo com a posição dos seus vikings.

Na fase quatro, os jogadores realizam o carregamento: recebem dinheiro, mercadores e abrem alas para uma nova rodada.

Os recursos disponíveis no jogo são âmbar, ferro, couro, lã, âmbar-negro, seda, vidro e ouro. Cada um representado com uma cor diferente. E, dependendo do modo de jogo, Karl ou Jarl, você elimina alguns recursos e cartas.

São diversos tipos de cartas que tornam o jogo bastante dinâmico. Varia entre construções, banquetes (que servem para acumular pontos), recursos, uma carta que dá trabalhadores adicionais, barcos de transporte (pontos), guerreiros para se defender de ataques bárbaros, artesãos (como ferreiros), comerciantes, navios, bardos e as cartas de Loki – que permitem mover os trabalhadores de qualquer jogador no tabuleiro durante a fase de demanda, antes de resolver as compras.

À medida que o jogo segue durante cada estação, denominadas de A, B, C e D, mais variedades e tipos de cartas vão surgindo – o que permite mais acumulo de pontos e traçar novos tipos de estratégias para vencer o jogo. Além da competição com os outros participantes.

Isso torna tudo muito interessante, já que o sistema de leilão oferece bastante competição entre os jogadores, que buscam melhorar cada vez mais a sua situação com a compra de cartas de alto valor ou investir em estratégias específicas.

O que a gente achou

Jórvik certamente é um jogo extremamente bem construído e divertido de jogar, levando em conta que os jogadores realmente precisam colocar a cabeça para funcionar na hora de traçar suas estratégias.

Lembrando que pode não agradar qualquer jogador, pois trata-se de um jogo de leilão aberto. Ou seja, cada jogador aposta em determinadas cartas e tem a oportunidade de bloquear as compras alheias – o que pode irritar o amigo.

Mesmo assim, há uma infinidade de trajetórias que cada jogador pode seguir para acumular pontos e conseguir a vitória. E tudo muda de acordo com a ação dos outros jogadores – os quais podem te ferrar ou ajudar você nas suas empreitadas.

A mecânica é o ponto alto do jogo, que funciona em qualquer pano de fundo. Aqui, no caso, os Vikings (que estão na moda no momento). A temática, porém, se torna secundária, já que o mais importante está no fluxo de jogo, interatividade e variedade de ações e estratégias disponíveis.

Outro ponto interessante é que dá para jogar apenas com duas pessoas. Ou seja, para casais, é um jogo excelente e que dispensa a necessidade de ficar esperando a disponibilidade de amigos ou qualquer outra pessoa para curtir uma partida.

O fator replay aumenta bastante por existirem dois modos de jogo disponíveis: Karl e Jarl. O primeiro modo é o mesmo que o de The Speicherstadt. Ou seja, mais tranquilo para começar e aprender a jogar. Enquanto o Jarl é como se fosse a expansão do jogo original, nunca lançada nas Américas, Kaispeicher – o que insere uma série de eventos, cartas, bônus e mudanças significativas na jogatina.

Jórvik

Ficha Técnica

Editora:

Conclave Editora

Lançamento

Fevereiro de 2017

Idioma

Português do Brasil

Gênero

Estratégia e Gerenciamento de Recursos

Categoria

Medieval

Faixa de Preço

R$ 119 até R$ 229

 

Leia mais sobre Vikings.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Categorias
BoardgamesGames

Jornalista, co-fundador do Geekness. Foi editor do GamesBrasil, TechGuru e BABOO e repórter das revistas MOVIE, EGW e Nintendo World. Curta o Geekness no Facebook!