Ciência

The Satanic Temple: o polêmico grupo que quer dar aulas em escolas dos EUA

Apesar de usar esta imagem controversa como mascote, a organização The Satanic Temple (O Templo Satânico) está bem longe dos preceitos “diabólicos”.

Na verdade, é bem ao contrário, eles promovem o igualitarismo, a justiça social e a separação entre Igreja e Estado.

A ideia deles, com seus mais de 20 escritórios espalhados pelos Estados Unidos, é criar um curso extracurricular nas escolas de todo o país.

Eles acreditam que as crianças precisam de conhecimento científico, social, crítico, de arte e história. Algo que, na verdade, é o contrário dos preceitos “diabólicos”, como muitos podem imaginar, embalados de um pré-conceito.

the-satanic-temple-GEEKNESS-01

Mas porque este nome?

“As pessoas nos veem como diabólicos pelo nosso nome, mas o irônico é que a bondade e o pensamento crítico são nossas crenças fundamentais”, disse à BBC Mundo, um porta-voz do escritório do grupo em Los Angeles, na Califórnia, identificado como Ali.

Ele diz que eles usam Satã como mascote por, na Bíblia, ele ter desafiado a autoridade de Deu, e por isso foi expulso do céu. Algo semelhante ao que o grupo sofre, de acordo com o porta-voz.

“De forma similar, nós desafiamos a autoridade intolerante na política, na sociedade e na cultura e somos marginalizados por isso. Além disso, recebemos ameaças de morte pela simples associação com o nome”, disse.

the-satanic-temple-GEEKNESS-03

“Nunca apanhe na escola novamente. Exercite seus direitos religiosos.” diz o cartaz do grupo, remetendo ao Project Children, seu projeto para crianças contra o abuso corporal.

O The Satanic Temple, ao contrário do que aparenta, não prega qualquer religião ou crença. Eles dizem que as pessoas tem o direito de ser crítico e a liberdade de acreditar no que quiserem. E seguem alguns dogmas específicos, que servem mais como filosofias de vida.

Os Dogmas do The Satanic Temple

  • O indivíduo deve atuar com compaixão e empatia em relação a todas as criaturas, e de acordo com a razão
  • A luta pela justiça é uma busca constante e necessária e deve prevalecer sobre leis e instituições
  • O corpo é inviolável, sujeito unicamente à vontade da pessoa
  • A liberdade dos outros deve ser respeitada, inclusive a liberdade de ofender. Invadir de propósito e injustamente as liberdades dos outros é renunciar às suas
  • As crenças devem estar de acordo com o conhecimento científico do mundo. Devemos ter cuidado de não distorcer feitos científicos para que se encaixem nas nossas crenças
  • As pessoas são falíveis. Se cometermos um erro devemos fazer o possível para retificar e resolver qualquer dano que possa ter sido causado
  • Cada dogma é um princípio orientador concebido para inspirar nobreza nas ações e pensamentos. O espírito de compaixão, sabedoria e justiça devem prevalecer sempre sobre a palavra escrita ou falada

O site da organização fala um pouco mais sobre os ideais:

“Organizações cristãs fundamentalistas estão tentando transformar escolas públicas em campos de doutrinação para as crianças. Com milhões em financiamento e uma equipe de advogados agressivos, eles foram corroendo com êxito a separação entre Igreja e Estado. Sua doação nos permitirá expandir nossa campanha para minar seus esforços e nos permitirá continuar a avançar campanhas que protegem o pluralismo religioso e defender a soberania pessoal.”

Claro que eles sofrem grandes represálias pela iniciativa e tentativa de inserir uma grade curricular um pouco mais científica nas escolas com este nome. Porém, os esforços são válidos, levando em conta que muitas escolas não respeitam a separação entre religião e Estado.

Ali diz que alguns pais até se voluntariam a dar aulas e querem matricular os filhos nas atividades propostas por eles. No entanto, o The Satanic Temple também recebe ameaças de morte frequentemente por fanáticos.

Mais sobre você encontra no site deles ou Facebook.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Categorias
CiênciaMundo Geek

Jornalista, co-fundador do Geekness. Foi editor do GamesBrasil, TechGuru e BABOO e repórter das revistas MOVIE, EGW e Nintendo World. Curta o Geekness no Facebook!