Cinema e TV

Você precisa asssistir Hardcore Henry!

Surpreendente é a palavra que define Hardcore Henry: Missão Extrema.

É o primeiro filme do diretor Ilya Naishuller, autor do clipe “Bad Motherfucker”, da sua própria banda Biting Elbows – que introduziu cenas de ação ininterrupta com uma perspectiva em primeira pessoa.

O sucesso com o vídeo musical foi tão grande que o diretor foi financiado para levar sua ideia adiante e tranformar em um longa de 90 minutos. Eis que surge esta belezinha. E para ber sem sincero: QUE FILME!

Do começo ao fim você se sente imerso na narrativa, justamente porque ela nos coloca no papel do protagonista. Ou seja, todos os atores e personagens reagem a câmera.

A partir daí, é só alegria.

A gente dá uns bons motivos pra você assistir Hardcore Henry

Ponto de vista diferente de todos os outros filmes

Você precisa asssistir Hardcore Henry

Tudo é filmado em primeira pessoa, como se fosse um game de tiro. Porém, apesar das claras referências aos vídeo games, o próprio diretor disse que este é um filme. Portanto, é direcionado aos cinéfilos, não necessariamente jogadores.

O modelo de narrativa nos coloca na visão do personagem principal. E isso é extremamente empolgante, levando em conta que entramos na pele de um ciborgue assassino que dilacera pessoas a todo momento.

Ação explosiva e sem interrupção

Você precisa asssistir Hardcore Henry

Tiros, explosões, pulos, batidas de carros, ossos quebrados, brigas, tijoladas na cabeça, perfurações, desmembramentos. Tudo isso e mais um pouco faz parte de Hardcore Henry. E esss elementos são filmados com maestria, levando em conta a quantidade e complexidade das cenas de ação de lutas.

Personagens bem elaborados

Você precisa asssistir Hardcore Henry

Além do próprio Henry, que por sinal não fala uma palavra o filme todo, há personagens interessantes como o vilão Akan – um psicopata digno de ser chefão de um game; e o ator sul-africano Sharlto Copley (Distrito 9, Esquadrão Classe A, Elysium), que interpreta diversos personagens.

Você precisa asssistir Hardcore Henry

Jimmy (Copley) é o principal aliado do protagonista na aventura. E além de surgir como os mais diferentes estereótipos, é o responsável pelas diversas cenas de humor que o longa apresenta, de forma leve e despretenciosa.

Músicas que, hora embalam a pancadaria, hora quebram a tensão

Estamos falando de um filme extremamente violento e cheio de tensão, apesar de os esguichos de sangue um tanto exagerados. A trilha sonora cai como uma luva. Momentos de menos ação são acompanhados de músicas tranquilas, como o excelente Devendra Banhart. Enquanto as cenas de ação são levadas com rock’n roll ou punk rock. Sem esquecer as partes muito bem humoradas, que tornam o filme mais leve e agradável de assistir.

Visual impressionante

hardcore-henry-3

Há mais de 1.800 cenas com o uso de computação gráfica, de acordo com informações dadas pelo diretor Ilya Naishuller.

Pode esperar para curtir momentos de pura adrenalina com grande complexidade para serem filmados, além de sincronizações perfeitas de combates e lutas, seja corpo-a-corpo ou em uma estrada em alta velocidade.

Vale ressaltar também que as cenas de violência são frequentes. E é um tipo de violência bem cru e realista. É como se pudéssemos ver como seria a perspectiva de uma pessoa insana que sai atirando, socando e esfaqueando todo mundo que encontra na frente.

Claro que, como é um produto de puro entretenimento, esses elementos tornam a coisa fantástica, divertida – como os games fazem.

hardcore-henry-2

É um dos filmes mais surpreendentes lançados nos recentemente. A meu ver, fica ao lado de Mad Max e Kingsman como melhores filmes de ação dos últimos tempos. Vale mais do que a pena.

5estrelas

hardcore-henry-boxHardcore Henry: Missão Extrema

Diretor: Ilya Naishuller
Roteiro: Ilya NaishullerWill Stewart

Duração: 96 minutos

Elenco: Sharlto Copley, Tim Roth, Haley Bennett

Lançamento: 21 de abril de 2016

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Categorias
Cinema e TVCríticas de FilmesMotivos para

Jornalista, co-fundador do Geekness. Foi editor do GamesBrasil, TechGuru e BABOO e repórter das revistas MOVIE, EGW e Nintendo World. Curta o Geekness no Facebook!